IX Encontro de Professores do Prolinfo 2019

Home / PROLINFO | Notícias / IX Encontro de Professores do Prolinfo 2019

IX Encontro de Professores inicia ano letivo no Prolinfo

O Programa de Línguas e Informática da UPE (Prolinfo) promoveu, no último sábado (23), o seu 9° Encontro de Professores. Cerca de 100 docentes participaram do evento, que ocorreu no Colégio Americano Batista, na Boa Vista, Recife. Todo o encontro foi transmitido online para os professores do interior. O coordenador geral do Prolinfo, Carlos Silva, abriu os trabalhos. Irandé Antunes deu continuidade ao dia, com uma palestra sobre avaliação escolar. Pela tarde, os professores participaram de oficinas direcionadas às suas áreas de atuação.

Carlos Silva proferiu as palavras de abertura do evento. “No próximo dia 1° de março, faremos 17 anos dando oportunidade a toda sociedade pernambucana de acessar o conhecimento. O Prolinfo atua sustentado por dois pilares: a inclusão social – o curso é praticamente gratuito – e a formação de professores”, disse. “Este não é um simples estágio para vocês. É uma missão: ajudar a sociedade. São pessoas que têm o sonho de estudar e que têm, no Prolinfo, uma chance única”, contou o coordenador.

IX Encontro de Professores

“No interior, a presença do Prolinfo é algo particularmente especial. Os cursos particulares que existem são caros para a população da cidade. Por isso, nossas aulas atendem a estudantes de municípios vizinhos e até de outros estados”, explicou Carlos, reforçando o viés social do programa.

AVALIAÇÃO – A professora Irandé Antunes liderou a conversa sobre a prática da avaliação. Bastante interativa, a palestra fez os professores refletirem sobre a função da prova no âmbito escolar. “Avaliar não é corrigir. Infelizmente, o erro ganhou relevo na escola, quando deveríamos fazer autoavaliação, retrospectiva e prospectiva. Verificar o que podemos melhorar e planejar o futuro. Deveríamos ficar não apenas na avaliação dos conteúdos, mas dos nossos procedimentos enquanto professores”, explanou. O intuito de estudar, segundo Irandé, não é porque “vai cair na prova. O estudo é para a vida”, concluiu.

Parceiros do Prolinfo, os instrutores das oficinas que ocorreram à tarde trouxeram aspectos atuais pedagógicos para compartilhar com o grupo. Em língua inglesa, Claudete Santana palestrou sobre como elaborar planos de aula com foco nas atividades da fala, e Rozineide Ferraz discutiu métodos e materiais no ensino de inglês para crianças. Em espanhol, Tânia Diogo explicou sobre a formação do docente da língua em tempos de resistência. Lucille Maia, de português, ministrou conversa sobre o ensino em cursos preparatórios, e Elias Silva, de informática, trouxe os desafios da tecnologia na didática.