Prolinfo ministra aulas de inglês para funcionários do Cisam

Home / PROLINFO | Notícias / Prolinfo ministra aulas de inglês para funcionários do Cisam
Headders

Prolinfo ministra aulas de inglês a funcionários do Cisam

Classe de inglês instrumental está preparando alunos para provas de pós-graduação

O coordenador geral do Prolinfo, Carlos Silva, recebeu a proposta de parceria com entusiasmo

O Programa de Línguas e Informática (Prolinfo/UPE) está capacitando funcionários do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam/UPE). Cerca de 20 servidores se tornaram alunos de inglês instrumental e estão focando nas habilidades específicas testadas nas provas de mestrado e doutorado. As aulas acontecem quinzenalmente, no auditório do Cisam, localizado no bairro da Encruzilhada, Recife.

A parceria entre Prolinfo e Cisam foi articulada pela professora Sandra Trindade, da Faculdade de Enfermagem (Fensg) da UPE. “O Cisam é uma unidade de educação e serviços na área de saúde e, por isso, estimula a pesquisa em vários setores. É natural que os servidores entrem em contato com essa realidade de ensino e tenham vontade de fazer mestrado e doutorado. Nós queremos ajudá-los a passar na prova de inglês, que é conhecida por trazer dificuldades”, explica a professora.

O coordenador geral do Prolinfo, professor Carlos Silva, recebeu a ideia com entusiasmo. “Nossa missão é contribuir com a formação profissional dos pernambucanos. E essa colaboração nos gratifica ainda mais quando ajudamos servidores da UPE”, reforça Carlos. O professor Carmino Williams (China) ficou responsável pela turma, composta de alunos da área de saúde. O objetivo é que os discentes se familiarizem, cada vez mais, com a leitura e a compreensão de textos técnicos. “Abordamos aspectos gramaticais para resolver problemas de tradução”, diz o professor China.

A aluna Simone Tabosa, técnica de enfermagem, trabalha no Cisam há 12 anos. “É muito motivante ver a UPE investindo na nossa profissionalização. Eu sabia muito pouco de inglês, apenas o que aprendi na escola. Fazia 23 anos que  não estudava o idioma e já sinto uma evolução, as palavras vão ficando mais claras. A ideia é começar pelo que já aprendi e ir traduzindo o resto do  texto”.

Related Posts